« A RTU é um reconhecimento da utilidade do baclofeno no tratamento do alcoolismo » Dr. Renaud de Beaurepaire

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

« A RTU é um reconhecimento da utilidade do baclofeno no tratamento do alcoolismo » Dr. Renaud de Beaurepaire

Mensagem por lili em Sab 24 Maio 2014 - 22:28

Por Jean-Philippe RIVIERE
Data de publicação: 6 de Maio de 2014

A primeira Recomendação Temporária de Utilização (RTU) de um medicamento foi concedida ao baclofeno para tratamento do alcoolismo.
Um reconhecimento excepcional, segundo o Dr. Renaud de Beaurepaire, psiquiatra, chefe de serviço no Hospital Guiraud, Villejuif ( Val-de-Marne) e pioneiro na utilização deste medicamento em relação a esta utilização.


VIDAL: O que é que pensou acerca da concessão de uma RTU
(Recomendação Temporária de Utilização) para o baclofeno ?

Dr. Renaud de Beaurepaire : A primeira coisa que é preciso dizer é que é excepcional : é um reconhecimento da utilidade do baclofeno no tratamento do alcoolismo da parte das nossas autoridades de saúde pública e na ausência de grandes estudos sobre o assunto. É igualmente excepcional pelo facto de esta RTU ser a primeira das RTU a ser promulgada em França. Não há mais nenhuma RTU [ desde esta entrevista uma RTU foi concedida para o tocilizumab].
Poder-se-ia quase dizer que a RTU foi feita para o baclofeno e foi uma boa decisão : A ANSM considerou que a relação benefício-risco da utilização do Baclofeno era a favor do baclofeno. É verdade que se fez muito barulho para isso, mas também é verdade que fora do ruído, há publicações nos jornais que tiveram um impacto suficiente para que as levemos a sério.
A ANSM, quando tomou a decisão, baseou-se em estudos que tinham  um valor, não é como se fossem estudos só observacionais e ela baseou-se também nas pessoas, no imenso número de testemunhos que apareciam na internet e isso foi qualquer coisa, de facto, novo.
 
VIDAL : Testemunhos de pacientes podem então influenciar também as autoridades de saúde pública ?

Dr. Renaud de Beaurepaire :É aquilo a que um jornalista-médico bem conhecido, Jean-Yves Nau, chamou as «  fases IV selvagens » : é algo selvagem, que não surgia de maneira nenhuma da indústria farmacêutica nem dos prescritores, mas que partia da base. Pacientes curados vinham testemunhar dizendo «  passou-se uma coisa extraordinária na minha existência, eu era alcoólico há 30 anos, nunca tinha encontrado o meio para me curar e num mês ou dois de baclofeno, uma nova vida começa ». São  também testemunhos muito comoventes, extremamente numerosos.
Podemos duvidar de um testemunho, de 10, de 100 também, mas 1 000 ou 5 000 testemunhos, torna-se qualquer coisa que pode fazer reflectir as autoridades de saúde, tanto mais que o alcoolismo é um grande problema de saúde, que tem um custo enorme.

VIDAL : Com esta RTU, pensa que os médicos irão aumentar a prescrição do baclofeno ?

Dr. Renaud de Beaurepaire: Acredito que todos os médicos dignos deste nome vão prescrever baclofeno, mesmo havendo muitos oponentes do baclofeno. Esta oposição em relação ao tratamento pelo baclofeno é feita sobretudo por alcoologistas, que o deveriam prescrever, por universitários também, que na maior parte recusam prescrever baclofeno ou são muito reticentes em relação a isso. Mas os médicos sobre os quais não houve pressão para não prescreverem, a meu ver, irão prescrever. Porque é muito natural, quando se é médico e que se sabe que há um medicamento que funciona, dá-lo. Vão informar-se um pouco, existem muitas formações que estão a ser preparadas, e vão talvez experimentar formar-se na prescrição do baclofeno, mas não há nenhuma razão para que não o prescrevam.

VIDAL : Após a RTU Baclofeno, haverá uma extensão da AMM para o tratamento do alcoolismo ?

[b]Dr. Renaud de Beaurepaire :[/b] Não está nada previsto. Não penso mesmo nada que vá haver uma AMM (Autorização de introdução no mercado) do baclofeno no alcoolismo. Será preciso esperar que os resultados dos estudos Bacloville e Alpadir sejam analisados e publicados, será preciso que haja reuniões, concertações… Não, penso que vamos contentar-nos com a RTU durante 3 anos, que é uma autorização para prescrever, mas não seguiremos talvez a RTU à letra, é tudo.

Dados recolhidos por Jean-Philippe Rivière no dia 27 de Março no Hospital Paul Guiraud (Villejuif).

Fontes : Vidal
Tradução : Elisa lopes
avatar
lili

Mensagens : 32
Data de inscrição : 24/02/2014
Idade : 66
Localização : PORTUGAL -Maia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum